Como saber se o que escrevo realmente está bom?

Como vou saber se o que escrevo realmente está bom se geralmente a história que está na minha cabeça foi criada com tanta perfeição pelos meus belíssimos neurônios?

Hahahaha!

É Futuro Leitor… A resposta é: depende!

Alguns têm um alto senso crítico, outros nem tanto. Ainda há aqueles que não sabem ouvir críticas e aqueles que sempre pensam que fez o melhor.

Mas afinal de contas como saber se o que escrevi está realmente bom?

gif-duvida-31

Uma autoavaliação é bastante complicada. Você precisa entender alguns pontos até decretar que o seu texto está bom.

É um processo longo, mas que pode ser reduzido com a prática. Vem comigo que vou lhe ensinar a analisar o que escreveu.

Entenda o que é um bom texto

Um bom texto é aquele que se comunica com o leitor sem gerar dúvidas.

É aquele texto que fala por si só, no qual você não precisa ficar explicando fora do que já foi publicado (ou escrito), ou seja, tem que fazer sentido para o leitor.

Um texto coeso e coerente, que o leitor entenda o enredo. Vou te explicar…

A coerência tem a ver com a macroestrutura do seu texto. Ela se estabelece por meio das ideias apresentadas no texto construção do sentido de acordo com as expectativas do leitor. Está, pois, ligada ao entendimento e à possibilidade de interpretação dos sentidos do texto.

Já a coesão é a microestrutura do texto. Os recursos linguísticos adequados para construir o texto fazendo as conexões necessárias para que o leitor consiga compreender a informação de forma clara.

É como se cada sentença do texto fosse um pedacinho de corda e você tivesse que amarrá-los para tornarem-se uma única corda.

Além disso, um bom texto é aquele que tem uma boa gramática e traz algo novo.

Crie um esquema

Defina qual o objetivo daquele capítulo e desenvolva em tópicos tudo o quer abordar. No final, volte ao seu esquema e veja se tudo foi respondido.  

Uma dica é utilizar mapas mentais para nortear os seus pensamentos e desejos de escritor.

Como assim?

No mapa mental você pode fazer subdivisões com os capítulos e escrever o que vai falar em cada um. Veja o meu exemplo:

Mapa mental

Revise sempre

Parece meio óbvio, mas para você qualificar o que está escrevendo deve revisar. Nada de publicar direto na plataforma, pois, ninguém consegue acertar tudo na primeira vez.

O processo de revisar leva tempo e dedicação. Você deve olhar os erros gramaticais, de coerência e de coesão.

Você pode usar corretores ortográficos online ou do próprio Word (do Word mesmo, não do Google Drive ou similar). No entanto, confie desconfiando destes corretores, nem sempre eles entendem o que você quer transmitir.

Nós temos um artigo sobre revisão que pode te ajudar nessa fase!

Leia em voz alta

Outro hábito valioso é a análise paciente e atenta do que foi redigido. Então, depois de tudo revisado leia em voz alta o que escreveu. Alguns erros de interpretação podem aparecer nesta leitura.

Coloque-se no lugar do leitor, imaginando suas dúvidas e sentimentos diante do texto, é o princípio condutor de uma boa revisão.

Essa prática permite que você encontre inconsistências, evitar repetições e melhorar de forma geral a experiência de leitura.

Tenha boas referências

Pode ser que você domine um tema muito bem, mas ainda assim as referências serão úteis.

Isso porque qualquer escritor tem algo a aprender observando o que outros já produziram, como um mentor, uma inspiração sobre o tema do seu livro.

É possível, por exemplo, analisar os erros dos outros redatores, quais conceitos ficaram confusos e, então, escrever um texto que supere os erros de outros escritores.

Não tenha medo de cortar

Sei que dói muito no coração eliminar qualquer parte do nosso texto. Contudo, muitas vezes, muita informação atrapalha o leitor. Então, não tenha medo de cortar.

Se sentir pena de jogar fora o que escreveu guarde em outro documento para usar eventualmente.

Faça uma pausa

Depois de ter feito os passos anteriores, não publique ainda.

Dê uma pausa do texto, faça outra coisa, ouça uma música, lave uma louça, mas não toque no texto por, pelo menos, 30 minutos.

Depois o leia novamente em voz alta. Tenho certeza que você vai alterar alguma coisa.

Peça para outra pessoa ler

Esse é um passo importante, mas que nem sempre conseguimos seguir. Quando outra pessoa ler o que escrevemos, ela está isenta de todas as emoções que depositamos nas palavras.

Desta forma, ela vai ler com pureza e só assim você vai perceber se conseguiu transmitir o que pretendia.

Existem algumas formas dessa leitura por terceiros ocorrer, normalmente chamamos de leitor beta. Você pode:

  • Pedir para um amigo;
  • Entrar em contato com uma blogueira da área de livros;
  • Encontrar no site do Nyah ou do Social Sprint.

Um leitor beta é aquele que terá um olhar crítico para a sua obra. Vai procurar por erros de continuidade, repetições e, algumas vezes, erros gramaticais. Ou seja, irá avaliar o conteúdo de forma geral.

Você deve encarar a leitura beta como um teste, pois, antes mesmo de publicar você receberá uma avaliação.

Depois destas dicas acredito que você estará confiante com o seu texto. Não deixe de praticar o que aprendeu neste post.

Se você gostou compartilhe estas dicas com os amigos escritores.

Vejo vocês depois.

 

Sua vez,comenta aí

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s